"BRONX"

Malandro que é malandro não espalha
Fica de tocáia na próxima vítima
Que caia sobre o "véu de Maya"
Pensa no que nada atrapalha
Anda bonito, cheio de ginga e até faz rima

Malícia às vezes engana o próprio feitor
O malandro quando perde vira mané
Não sabe ser ator
Nem sempre manipula uma mulher
Labial lábia causa lábil e fuga do labor

Coloca nas iscas a tática da sedução
Ambivalente; mentiroso, inteligente
Fisga os peixes pelo coração
Fiel à boemia; à monogamia, jamais
Malandro não perde a ocasião

Deixa de ser héroi...
Cavalheiro, sensível, amante
De ser o carismático...
Boêmio, sentimental, galante
E é assim rotulado...
Súcio, erradio, farsante
È assim chamado...
Infame!

3 comentários:

Anônimo disse...

Queridinha até parece q ninguém sabe pra quem vc escreveu isso
fica na paz!

nath lama disse...

Mas olha!!!! Se acha né amiga, quando vê isso nem entendeu oq vc escreveu!!!!kkkkkkk burra burra burra...

Dani disse...

Nossa ainda de ser anônimo, é de um tamanho desaforo... coisas de inferioridade.
DESCULPE se te incomodei fofa!!!
Bjinho