"Glacial"

O Párvulo se impressionou com à Geada Branca... Todos os dias ía ao encontro do orvalho congelado, e ficava pasmado com o depósito de gelo cristalino. Essa aproximação fez com que o Parvo alimentasse o sentimento de dedicação e adoração pela beleza reluzente da cristalina Geada. Ela matinha-se em estância, mas em noite de lua cheia mostrava um brilho que irradiava os olhos do parvalhão que adormecia desabafando sua vida. Enquanto ela permanecia estática, ele tinha pressa de que às horas passassem e ele pudesse fugir com seus cobertores ao caminho dos Orvalhos. Que entre tantos, um só, mas um só prendia o olhar do partista. Era época de inverno, a solidão nas ruas, o frio estampado no rosto. Tudo fazia com que o párvulo se prende-se aos encantos da mais bela Branca Geada. O tempo foi passando, o sentimento aumentando e ele pensou em levá-la para casa, o que seria impossível. Ele resolveu esperar o tempo passar e começou evitar as suas vontades de encontrá-la. Passou o inverno, deu início ao verão e a volta ao orvalho deixou o Parvinho com os olhos d'água. A partir desse dia o menino aproveitara todos os minutos da sua vida à admirar a natureza em todas as suas estações. Nunca mais ele esquecera da mais bela e cristalina Geada, mas também, não mais sentira, aquele mesmo amor, um amor puro.

Um comentário:

Marcelinha disse...

mulher, tu escreve muito! lindo! =)

=****************